Fortificação Abaluartada de Campo Maior Associação de Turismo Militar Português - ATMPT

Marcada pelos inúmeros confrontos ao longo da sua história, a fortificação abaluartada de Campo Maior é um símbolo da defesa do território português. Passe por lá e descubra todos os seus cantos e recantos repletos de história.

Fortificação abaluartada: magistral de traçado abaluartado formando polígono irregular de 10 lados com alguns troços de cortina desaparecidos; flanqueando as cortinas e partindo do sector S. e no sentido dos ponteiros do relógio, apresenta: baluarte da Boa Vista, meio baluarte de São Sebastião, Portas da Vila, meio baluarte de Lisboa, meio baluarte do Curral dos Coelhos, baluarte de Santa Cruz, baluarte do Cavaleiro ou de São João, meio baluarte do Príncipe, baluarte da Fonte do Concelho, meio baluarte de São Francisco, meio baluarte de Santa Rosa e poterna; a fortaleza ainda possui o fosso e a contra-escarpa em boa parte da sua extensão, nomeadamente de S. a NE., bem como 4 revelins; inúmeros edifícios militares têm hoje ocupação civil, conservando a traça original (armazéns, quartéis, cavalariças, habitações, etc.). Castelo e cerca urbana: o castelo possui 2 das 6 torres, de planta rectangular; as muralhas, de planta trapezoidal, estão ameadas e possuem adarve que permitem a circulação completa passando pelas torres remanescentes; também estas torres estão ameadas e, tal como as das muralhas, possuem terminação tronco-piramidal com arredondamento no topo; qualquer das torres tem sala abobadada ao nível do adarve, possuindo a torre N. uma janela com decoração renascentista; para S. estendem-se as muralhas da cerca urbana da vila velha, formando, de forma grosseira, uma meia elipse com 7 torreões (6 com planta rectangular e 1 com planta octogonal, a NE., por onde se realiza a entrada); as muralhas apresentam-se rebaixadas, tal como as torres, formando barbetas e possuindo canhoeiras; apenas uma das torres da cerca, a SO., junto a uma das portas falsas, possui ameias; a SE. a Capela do Senhor dos Aflitos.


Arquitectura militar, medieval e moderna. Castelo e cerca urbana: período medieval; fortificação em relevo, estratégica, de detenção, orientada para Espanha, fazendo parte de uma primeira linha de defesa do Alentejo, a par com o Castelo de Ouguela, Elvas, Olivença e Juromenha. Fortificação abaluartada de época moderna; sobreposição sobre o castelo e cerca urbana; fortificação rasante. Janela renascentista na torre N. do castelo. Fortificações de grande extensão com elevado número de edifícios militares; são, depois das de Elvas, as mais importantes do distrito. Segundo Francisco Sousa Lobo (LOBO, 2008) possuía o único fosso aquático construído no país, tendo, no projecto, três ribeiras que confluíam para o fosso, alimentando-o.

EntidadeMunicípio de Campo Maior
MoradaRua dos Quartéis 8
GPS39.0177, -7.06497

Direção Geral do Património Cultural Turismo Centro de Portugal Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa Alentejo Ribatejo ERT Algarve Visit Madeira Património.PT APECATE OPCTJ Rede de Castelos e Muralhas do Mondego