No caminho certo para o desenvolvimento do Turismo Militar


registo | recuperar

No caminho certo para o desenvolvimento do Turismo Militar

{titulo}

{titulo}

{titulo}

{titulo}

À conversa com o Presidente da Câmara Municipal de Penacova

Por entre a beleza natural da Serra do Buçaco e as memórias de um passado que carrega a história de uma nação, Penacova recorda-nos a importância do legado histórico português. Aqui decorreu uma das mais importantes batalhas da Guerra Peninsular – a Batalha do Buçaco, durante a terceira invasão francesa.

Humberto José Baptista Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Penacova (Figura 1), esteve à conversa com a Associação de Turismo Militar Português (ATMPT) e demonstrou a importância da História Militar no Município, o trabalho que tem sido desenvolvido e as prioridades no que diz respeito ao Turismo Militar nacional.

Penacova é a confirmação do aumento da procura e interesse pela História e Turismo Militar em Portugal. Tal como outros municípios, Humberto Oliveira refere a importância “(…) na valorização dos territórios, aproveitando os recursos e o património existente nessa matéria para serem valorizados como produtos turísticos capazes de atrair visitantes e dinamizar a economia local e regional.” Em 2013, foi criado o projeto “Caminhos da Batalha do Buçaco”, em colaboração com diversas entidades, inclusive a ATMPT, de forma a não deixar cair em esquecimento a história associada à Batalha do Buçaco e a importância desta para a região, numa tentativa de captar público interessado neste tipo de temática.    

Quanto às atividades e experiências do Município integradas no Turismo Militar, o que distingue este território de todos os outros são os passeios noturnos encenados (Figuras 2, 3 e 4), onde se conta a história da Batalha do Buçaco e que se realizam durante o mês de setembro. O Município conta, ainda, com a organização de exposições, colóquios e visitas guiadas, no âmbito desta temática.

Quando questionado sobre a importância do Turismo Militar na atração de novos públicos e no desenvolvimento do Turismo da região, Humberto Oliveira não tem dúvidas e enfatiza que devem “(…) ter estratégias bem concertadas para atrair novos públicos, exigentes, e que procuram experiências na natureza, no património histórico militar, etc… Tendo nós os recursos e as bases de fundamentação documental histórica estudada para os saber trabalhar, temos de criar a oferta que tenha capacidade de atrair esse fluxo de novos públicos, independentemente de serem nichos de mercado ou não. O intuito é sempre que isso produza desenvolvimento na região.”

A região tem recebido visitantes, um pouco de todas as faixas etárias e géneros de público, que procuram conhecer o património militar local, seja ele material ou imaterial. No que concerne ao público escolar, o Município tem estabelecido parcerias com diversas escolas da região, dando a conhecer este património e sensibilizando para a salvaguarda do mesmo. O Senhor Presidente refere, também, que tem “(…) conhecimento que há um mercado inglês muito ativo na procura do Turismo Militar em Portugal relacionado com a Guerra Peninsular, (e que) provavelmente falta-nos dar o passo para conseguir que esse mercado não funcione paralelamente à nossa visão para o desenvolvimento da região com o produto do Turismo Militar.”

Em questões de salvaguarda do património histórico-militar, um dos projetos pioneiros assenta na recuperação das infraestruturas existentes, sejam elas acessos principais ou vias florestais. Humberto Oliveira afirma que “recuperar e proteger paisagisticamente a Serra do Buçaco é também uma questão determinante para o sucesso do projeto, nomeadamente no que toca à tentativa de controlo das espécies invasoras introduzindo espécies que permitam uma aproximação ao que seria a vegetação da Serra do Buçaco no início do século XIX. Temos em parceria, com a nossa Comunidade Intermunicipal e outros municípios portugueses e europeus, um conjunto de projetos a iniciarem-se que valorizarão para além do território toda a temática da História Militar. Julgo estarmos no caminho certo no que a esse assunto diz respeito.”

As prioridades do Município passam pela “preservação do campo de batalha do Buçaco (…)”, que “(…) já entrou em processo de classificação por sugestão da DRCC”, assim como a preservação do “espaço natural da serra do Buçaco para além da componente histórica e material”, cujo trabalho tem sido projetado em parceria com diversas entidades, refere o Senhor Presidente.

Para o futuro, Humberto Oliveira sublinha “(…) duas grandes tarefas em mãos: por um lado, continuar a promover atividades e o território, por outro lado inventariar, descobrir, estudar cada vez mais o espaço físico onde decorreu o evento que dá origem a este tema, a Batalha do Buçaco, que no território do município de Penacova inclui a localidade de Santo António do Cântaro, bem como toda a encosta da Serra do Buçaco adjacente a esta aldeia.” 

A ATMPT convida-o a descobrir os recantos e encantos de Penacova e a partilhar aquela que é a identidade local deste território. Faça parte da História de Portugal.