Alpoim Calvão e Rebordão de Brito homenageados


registo | recuperar

Alpoim Calvão e Rebordão de Brito homenageados

Alpoim Calvão  e Rebordão de Brito homenageados

Alpoim Calvão  e Rebordão de Brito homenageados

Alpoim Calvão  e Rebordão de Brito homenageados

Alpoim Calvão  e Rebordão de Brito homenageados

Alpoim Calvão  e Rebordão de Brito homenageados

Condecorações e retratos dos dois oficiais fuzileiros em foco na Operação Mar Verde ganham lugar de mérito no Museu do Fuzileiro

Guilherme Alpoim Calvão, o militar mais condecorado da Marinha Portuguesa, e Alberto Rebordão de Brito, também detentor da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, têm a partir desta semana um espaço de destaque no Museu do Fuzileiro. Ali é possível estão expostas as muitas condecorações e objetos que ambos doaram à instituição, bem como os retratos pintados pelo Capitão de mar-e-guerra Mário Alvarenga Rua.

Para assinalar a inauguração simbólica, no dia 18 de Novembro, o Comandante da Escola de Fuzileiros, Capitão-de-mar-e-guerra Fuzileiro Rogério Paulo Figueira Martins de Brito, convidou as famílias Alpoim Calvão e Rebordão de Brito para uma visita guiada ao Museu do Fuzileiro, instalado no Complexo Real de Vale de Zebro, Barreiro, edificado no séc. XV, durante o reinado de D. Afonso V e onde desde 1961 está sedeada a Escola de Fuzileiros. Estiveram presentes também alguns amigos de longa data, entre os quais o Almirante José Lopes Carvalheira, o capitão-de-fragata na reserva Abel Melo e Sousa, os professores Ângelo Lucas e Rui de Azevedo Teixeira e Rui Hortelão, coautor da biografia de Alpoim Calvão e membro da direção da Associação de Turismo Militar Português.

Foi o próprio quem deu as boas-vindas aos presentes, antes de passar a palavra ao cabo Pinto, encarregue de guiar uma interessante visita por um museu onde é possível conhecer ao pormenor o fabrico do biscoito que alimentou os marinheiros portugueses na época dos Descobrimentos, conhecer a origem dos Fuzileiros e da palavra de ordem “Siga a Marinha!”, e ver de perto valiosas peças de armamento, como o revólver Kirschbaum, que pertenceu a Roberto Ivens, ou o Abadie, que acompanhou Mouzinho de Albuquerque nas campanhas de Moçambique (1895-97) e na captura de Gungunhana, ou a arma que Alpoim Calvão empunhou em Conacri, quando a 22 de Novembro de 1970 comandou a célebre Operação Mar Verde, ainda hoje estudada em escolas militares norte-americanas.

Além da exposição dos retratos e das condecorações aos dois distintos militares, o Comandante da Escola de Fuzileiros, Rogério Martins de Brito surpreendeu ainda a viúva de Rebordão de Brito, Maria da Conceição Rebordão de Brito, com a exposição da enorme bandeira que esteve hasteada no Palácio de Bolama e que a própria resgatou para Portugal, na década de 70, e mais recentemente doou ao Museu do Fuzileiro.

MUSEU DO FUZILEIRO
Aberto todos os dias
Tel.: 212151026
Morada: Escola de Fuzileiros, Vale de Zebro, 2830-412, Barreiro
Email: escolafuzileiros@marinha.pt